Home / Hotéis da Disney

Hotéis da Disney

Disney’s Port Orleans French Quarter Resort!

 

IMG_4741

Conheça o Hotel Port Orleans French Quarter, um dos mais charmosos hotéis moderados da Disney!

Read More »

Tornando-se Membro do Disney Vacation Club – com Theresa Valois Konno e Família!

Minha amiga The conta todos os segredos de como se tornar membro do DVC!

Minha amiga The conta todos os segredos de como se tornar membro do DVC!

Dando continuidade ao post anterior sobre o Disney Vacation Club, hoje vou falar de como se tornar um membro e os valores.

Read More »

Disney Vacation Club com Theresa Valois Konno e Família!

Minha amiga The conta tudo que você sempre quis saber sobre o Disney Vacation Club!

Minha amiga The conta tudo que você sempre quis saber sobre o Disney Vacation Club!

Gente, todo mundo passa pelos quiosques escritos Disney Vacation Club e morre de curiosidade para saber o que é, como funciona e principalmente os preços. Por isso agradeço de coração o carinho da minha amiga Theresa Valois Konno por este post maravilhoso (terá a continuidade com mais detalhes)! Confira as dicas da The:

Read More »

Hotel Disney’s Pop Century Resort!

Disney's pop Century Resort!

Disney’s pop Century Resort!

Se você está pensando em ficar num hotel econômico da Disney, e ficará em até 4 pessoas por quarto, minha recomendação é o Disney’s Pop Century Resort!

É um hotel super divertido, com um ótimo custo benefício. Ele tem o preço intermediários entre os econômicos (os All-Star são um pouco mais baratos, e o Art of Animation um pouco mais caro, mas a diferença é pequena).

PARA VER MAIS POSTS SOBRE O POP CENTURY CLIQUE AQUI!

Read More »

Por Que Ficar num Hotel Disney? Parte I – VideoDicas da Ellerim Viajante

logo1

Hoje Ellerim Viajante começa a falar para vocês sobre os vários benefícios de ficar hospedado em um dos hotéis da Disney!

 Assista essas dicas da Ellerim Viajante:


ASSISTA TODOS OS NOSSOS VÍDEOS NO YOUTUBE CLICANDO AQUI!

Plano de Alimentação da Disney! Descubra tudo sobre ele!

Plano de Alimentação da Disney - reservar pelo telefone 00 + código da operadora + 1 + 407 + 9397709

Plano de Alimentação da Disney – reservar pelo telefone 00 + código da operadora + 1 + 407 + 9397709

Entenda o plano de alimentação da Disney e descubra se ele é bom para você e sua família!

Eu recebo muitas perguntas sobre como funciona o plano, quanto custa, se precisa usar em horários específicos e, principalmente, se vale à pena.

Então, falarei um pouco sobre os tipos de alimentação, diferença entre os planos, custos, para então chegar na parte se vale à pena ou não.

Como são as refeições?

Refeições self-service: são as refeições em que você pega a comida no balcão, e escolhe as mesas do restaurante para sentar (igual em praças de alimentação de shoppings). A refeição inclui prato principal, bebida e sobremesa no almoço e jantar, e a refeição do café da manhã inclui prato principal e bebida.

Snack: são lanches até US$ 5, você escolhe entre bebidas, pipoca, sorvete, frutas, doces e muito mais.

Refeições table-service: são as refeições em restaurantes com garçons, e que normalmente precisam de reserva. É o caso das refeições com personagens. Nestas refeições a gorjeta não está incluída na maioria dos casos.

Read More »

Promoção de Alimentação Gratuita nos Hotéis Disney 2014

 

Finalmente foi lançada a promoção para alimentação grátis nos hotéis da Disney para 2014! Precisa reservar até 8 de agosto para promoção 2014!

Não percam a promoção!!! Esse plano de alimentação é tudo de bom.

Read More »

Endereços, Telefones e Sites dos Hotéis Econômicos da Disney!

IMG_3604

Disney’s All-Star Movies Resort

Aqui você encontra todos os endereços, telefones e sites dos hotéis econômicos da Disney.

PARA VER TODOS OS POSTS DE HOTÉIS DA DISNEY CLIQUE AQUI!

Read More »

Disney’s Art of Animation Resort – O Novo Hotel Econômico da Disney!

Disney's Art of Animation Resort

Disney’s Art of Animation Resort

Queridos Amigos Leitores! Finalmente testamos o novo Resort Econômico da Disney, e estamos aqui para contar tudinho que você quer saber para decidir se vale à pena se hospedar nos hotéis da Disney!

PARA VER TODOS OS POSTS DE HOTÉIS DA DISNEY CLIQUE AQUI!

Read More »

Passo a Passo para Reservar Hotel no Site da Disney!

Reserve seu Hotel da Disney

Aprenda o passo a passo para fazer reservas nos hotéis da Disney, inclusive com pacotes de ingressos, plano de alimentação e transporte, tudo bem fácil de sem dor de cabeça.

Read More »

Disney’s All-Star Movies Resort!

Eu sou suspeita para falar dos hotéis da Disney, porque como sou Disneymaníaca no mais alto grau, eu amo ficar dentro do complexo da Disney. 
Ainda não tive condições de ficar nos hotéis luxuosos que já visitei (meu favorito é o Beach Club Resort), mas já fiquei nos econômicos, e adoro. 
Hoje então vou falar um pouco do Disney All-Star Movies Resort !
Os três hotéis All-Star são bem parecidos, e ficam um ao lado do outro. Você até consegue ir à pé de um para o outro, mas são mais de 20 minutos de caminhada de Lobby a Lobby, de tão grandes que são. E de econômicos temos ainda o Disney Pop Century Resort (clique aqui para conhecer) e o novíssimo Art of Animatios (clique aqui para conhecer)
Todos os hotéis da Disney são imensos, e você sempre precisa andar muito para chegar de um local a outro. Para vocês terem uma ideia, cada um dos Hotéis All-Star possuem pouco menos de dois mil quartos (para 4 pessoas cada). E é tudo gigantesco!
 
São hotéis principalmente para quem tem crianças pequenas, e para os Disneymaníacos de qualquer idade. 
Se esse não é o seu caso, talvez seja melhor escolher um hotel fora do complexo. Você encontra hotéis bem mais baratos, ou bem mais luxuosos pagando o mesmo preço. Os corredores são externos, e os quartos são distantes do Lobby.
Mas primeiro vou listar tudo que eu amo no All-Star Movies, para só depois falar dos pouquíssimos pontos negativos! 
Transporte:
 
Ficando no All-Star Movies você tem direito a todo transporte gratuito dentro do complexo com ônibus que passam de 20 em 20 minutos, inclusive o tranporte de e para o aeroporto (Magical Express). 
 
Isso é muito importante, pois muitas vezes (muitas mesmo) as malas não cabem no carro na hora de ir embora. Então, você pode devolver o carro dentro da própria Disney se alugar pela Alamo (perto do estacionamento do Magic Kingdom, no Car Care Center ou no hotel Swan) ou Budget (do Blue Tree Downtown Disney), e ir de ônibus para o aeroporto, sem se preocupar com a bagagem. Com isso, você economiza no aluguel do carro, pois não precisa pegar um carro tão grande. Só não esqueça de que nestes locais tem que entregar com o tanque cheio (não adianta pagar para entregar com tanque vazio).
 
Este é o ônibus do Magical Express
Os ônibus para os parques são ótimos e dão bastante liberdade. Bem na frente do Lobby tem um ponto de ônibus, com placas com o nome dos Parques e Downtown Disney. Você só precisa ficar na fila do parque que quer ir e esperar. Simples assim. 
 
Não precisa apresentar nenhum ticket ou documento. No All-Star Movies o ônibus é dividido com os outros dois All-Star (Music e Sports), e o All-Star Movies é a última parada. Com isso, os hóspedes do All-Star Movies entram no ônibus e vão direto para o parque! Mas na volta o ônibus para antes no All-Star Sports, depois no All-Star Music e por último no All-Star Movies. 
 
De Downtown Disney você pode pegar o ônibus para qualquer dos hotéis da Disney se quiser conhecê-los, e também para o Boardwalk. E se você quiser ir de carro, o estacionamento nos parques é gratuito! Você recebe uma folha de papel dizendo que você é hóspede, e deixa no parabrisas, e com esse papel você entra em qualquer parque ou hotel Disney. Eu amo tudo isso! 
Restaurante:
O All-Star tem um restaurante com 4 baias (como de shopping) com um cardápio para café da manhã, e outro para almoço e jantar. Funciona das seis da manhã à meia noite (às onze algumas coisas já fecham) e tem muitas opções. A maioria é de comida americana (sanduiches, macarrão, pizza). Mas tem salmão, sopa, salada (ummm, uma tem uma salada com salmão deliciosa), alguma coisa de comida mexicana. Todos eles tem pratos infantis. 
Eu amo esse restaurante (mas gosto mais ainda do restaurante do Pop Century). Bem no final tem uma televisão e mesinha infantil para distrair as crianças. Para comprar a comida você passa nas baias, escolhe as comida, e paga no final (os caixas ficam entre os restaurantes e as mesas). Você pode comprar uma caneca refil (MUG), e com ela toda a bebida no restaurante do hotel é gratuita (café, chocolate quente, chá, refrigerante, suco). 
 
 
Disneys All Star Movie - Orlando - United States
Também são gratuitos todos os temperos e coisinhas para passar no pão (mel, manteiga, geleia, acompanhamentos de sanduiche etc). Tudo isso você encontra no balcão de bebidas, e ainda tem torradeira e microondas. Também tem todo tipo de sorvete e sobremesas! Ummmm que delícia! E junto com os restaurantes tem uma mini mercearia, com todos os tipos de bebidas, iogurtes, frutas, doces, bolachas etc. 
Então, você sempre pode tomar café da manhã ou jantar quando voltar de um parque. Tem muitas coisas para crianças e bebês também! Passar todos os dias por esse restaurante é uma diversão para mim. 
Balões para as crianças!
 
Os hotéis All-Star distribuem balões para as crianças todos os dias, até balões com hélio. Como a Ellerim gosta mais de balões do que de brinquedos, é uma excelente economia para a gente! Ela ama, e pede sempre de cores diferentes. 
Bichinhos de Toalhas:
Estes bichinhos de toalha dão um toque todo especial à estadia. A qualidade e quantidade de bichinhos depende muito do camareiro do dia, mas é claro que alguns trocados por dia ajundam!
Lojinha do Hotel (Donald’s Double Feature):
Donald's Double Feature gift shop in Cinema Hall at Disney's All Star Movies Resort

Ah, não preciso dizer o quanto essas lojinhas são maravilhosas. Como é que pode não cansar? É simplesmente delicioso ficar passeando pela lojinha do hotel. E também tem remédios, fraldas, comida de neném e várias outras necessidades básicas.

Entrega de pacotes no Hotel:
Essa é mais uma maravilha dos serviços dos hóspedes Disney. Todos os produtos que você comprar (exceto alimentos) em qualquer parque, hotel, ou Downtown Disney são entregues na lojiha do All-Star! É uma maravilha. Você compra o dia inteiro e não carrega nada! É só pedir para entregar (você pode falar algo como: I would like it to be delivered to the hotel) e então você preenche um papel verde, com o seu nome, endereço de casa, data de retorno e assinala o hotel. Você só não pode despachar se for embora no dia seguinte, porque leva de 24 a 48 horas para entregar. 
Extra Magic Hours: 
Vocês sabiam que todos os hóspedes da Disney podem chegar uma hora mais cedo ou sair 2 horas mais tarde (antes eram 3 horas, agora diminuíram), cada dia da semana em um parque? O lado ruim é que nestes dias os parques ficam muito cheios. Mas o horário cheio mesmo é da uma da tarde até a primeira hora mágica. Então, você pode chegar cedinho, aproveitar quando ainda não está tão cheio, pegar vários fast pass, e ir descansar depois do almoço. Assim você vai ter energia para voltar mais tarde, assistir ao show de encerramento e aproveitar as horas mágicas finais sem filas! É só ter a disciplina de realmente ir embora depois do almoço, e não cair na tentação de ir ficando mais um pouco (porque este horário depois do almoço é muito cansativo, e ficamos acabados depois). 
Piscinas: 
Eu amo as piscinas dos hotéis da Disney. As do All-Star Movies são lindas, e tem piscina infantil e aquela área que sai água do chão. As crianças amam. 
E a gente também. É claro que numa viagem muito curta a gente mal fica no hotel. Mas eu acho uma delícia ir cedinho para o parque, aproveitar até o meio dia quando está bem vazio. Perto da uma da tarde, quando o parque está lotado e o calor é infernal a gente foge para o hotel, toma um banho de piscina delicioso. No final da tarde voltamos para o show de fogos e horas mágicas! Perfeito! 
Shampoo e Sabonetes do Mickey: 
Bom, para quem não é Disneymaníaco isso não vai fazer o menor sentido, mas quem é vai me entender! Eu sempre levo shampoo e sabonete de casa para os hotéis da Disney, para poder trazer para o Brasil todos os shapoozinhos e sabonetes do Mickey. Quando estou em casa eu amo usar esses sabonetes, e relembrar daquele lugar mágico! 
 
Plano de Alimentação Grátis!
Gente, este plano de alimentação grátis da Disney é uma covardia!!! Nós sempre planejamos nossas viagens de acordo com as datas do plano grátis, e vale muito à pena mesmo! Nós amamos!!! Clique aqui para ler um post onde conto tudo sobre este plano maravilhoso!
 
Passear pelo Hotel: Vejam que lindas as fotos das áreas do hotel! 
Agora, sobre os (poucos) pontos negativos: Tudo é muito grande, e em consequência muito longe. Não é bom para quem não gosta de andar. Os corredores são externos, e os quartos não são grandes (embora agora todos tenham frigobar e internet sem fio gratuita). Com o mesmo preço você pode ficar em algum hotel mais luxuoso, e com corredores internos (a não ser que pegue o plano de refeição grátis). São distantes dos parques fora da Disney.
O que eu realmente gosto de fazer quando ficamos mais do que 12 dias é passar um período fora da Disney (para ir às compras e aos demais parques) e o segundo período em Hotel da Disney! Esta é minha opção predileta!!!

Ficar ou não ficar nos Hotéis Econônicos da Disney!?!?!?

Gente, eu tenho uma amiga que tem um blog maravilhoso sobre a Disney e Orlando em geral, o Dicas da Fer.

E eu amei este post que ela fez sobre os hotéis econômicos da Disney! Tem simplesmente tudo que a gente pode querer saber para decidir em qual dos hotéis econômicos ficar, ou até se vale a pena ou não escolher um desses hotéis ou ficar fora da Disney.

Aproveitem estas dicas, pois são precisosas, e acompanhadas de várias fotos dos hotéis!!!

Imagens e Vídeos do novo Disney’s Art of Animation Resort!

Outside

Eu sou apaixonada pelos hotéis da Disney. Até hoje só fiquei nos econômicos, e já amo. Mas sempre visito alguns em cada viagem. Já conheço quase todos. 
Agora, o mais novo hotel da Disney, o Disney’s Art of Animation Resort, é também um dos econômicos, e fica em frente ao Pop Century (do outro lado do lago). 
Nós vimos a construção, e deu uma vontade enorme de ficar por lá. O que eu achei realmente legal é que este Resort é todo enfeitado com imagens dos desenhos mais famosos da Disney, enquanto os outros econômicos misturam personagesn e imagens normais como instrumentos musicais ou materiais de esportes. Mas quando vamos com crianças para Disney queremos mesmo é tudo dos personagens não né! Por isso achei tão encantador.
A pena para famílias pequenas como a nossa é que os primeiros lançados são aqueles que tem apenas suítes familiares.  
Vejam as imagens e vídeos já lançados deste lindo hotel que será inaugurado dia 31/05/2012!
Lobby
Landscape of Flavors food court
Finding Nemo pool
Crush and Dory
Finding Nemo water play area
Finding Nemo family suite
Finding Nemo family suite
Finding Nemo family suite
Finding Nemo family suite
Finding Nemo family suite
Finding Nemo family suite
O vídeos da Piscina do Nemo:
Vídeo do quarto (suíte familiar) do Nemo:
Vídeo do Lobby
E como está ficando a área dos Carros:
Cars wing
Cars wing
Cars wing
Doc
Radiator Springs
Mater
Flo
Luigi

Dia 21/11/2010 (Domingo) – Disney’s Pop Century Resort

Último dia de Orlando! Snif…
Incrível como 20 dias podem passar tão rápido! Quando estamos organizando a viagem, todo mundo fica horrorizado: Nossa, “VINTE” dias na Disney? O que vocês vão fazer lá tanto tempo? Pois é… passou!
O último dia sempre tem uma mistura de emoções. A maior é a felicidade, por ter tido a oportunidade de viver este sonho. Mas junto vem já uma sensação de saudades de tudo que estamos vendo, uma tentativa de olhar tudo no último minuto, de não perder nenhum detalhe. Bom, e é um dia para aproveitar e fazer tudo que tiver vontade também.
Acordamos cedo e fomos tomar café da manhã no restaurante do Pop. Lá encontramos a Rafaela e o Paulo, que já estavam indo embora, já estavam com as malas no carro. Conversamos um pouco e nos despedimos.
O café estava uma delícia. A Ellerim e a Manu ficaram vendo a TV do restaurante enquanto buscamos a comida, e eu peguei os famosos waffles do Mickey. Eu adoro aquele café. Até trouxemos as canecas térmicas (Mugs), e às vezes nos finais de semana eu faço o nosso café nessas canecas, e é muito gostoso relembrar nossos cafés no Pop.

 

Depois do café voltamos para o quarto, para o Mauro, a mãe e a Rô terminarem de arrumar as malas. Enquanto isso eu e as meninas fomos fazer uma sessão fotográfica pelo hotel.
A ideia original era eu ir com elas até o Caribbean Beach tomar um banho de piscina, mas o dia não estava muito bonito, estava até meio friozinho.
Então, resolvemos passear por todo o hotel, pois no dia a dia nunca dá tempo. A Ellerim e a Manu se divertiram um monte, fazendo pose para as fotos e brincando (e o que mais tem no hotel é lugar para as crianças brincarem, o hotel inteiro é um grande parque de diversões!).
Estávamos nos anos 50, do lado do lago, então seguimos direto para o lago, e fomos até a ponte que dá acesso ao que vai ser o Art of Animation Resort (estou louca para conhecer este hotel). Já dava para ver as obras em andamento.
Depois, fomos para os anos 60, e tiramos fotos em frente às piscinas. 
 
Dali, passamos na área do Pateta, e seguimos para os anos 70, que é o mais bonito, e as meninas brincaram um monte por ali. 
 

 

 

Passamos na frente do Sr. e Sra. Batata e corremos para o Playground.

Ficamos ali mais de uma hora brincando, e aconteceu uma coisa muito legal. No primeiro dia de Magic Kingdom a Ellerim tinha pedido um balão roxo do Mickey. Eu tentei comprar também um rosa, mas ela devolveu para o vendedor, disse que só queria um, e tinha que ser o roxo. Mas de noite ela furou o balão, e não quis outro a viagem inteira, a nãos ser que fosse igual, e eu disse que não daria igual porque ela tinha furado o que ganhou, e ela acabou ficando sem balão a viagem inteira. Pois nessa hora, no playground, nós vimos um balão igualzinho ao dela voando, e voando e voando, e o vento veio trazendo o balão na nossa direção e ele caiu direitinho nas mãos da Ellerim! Foi inacreditável! Ela olhou pra mim, e pediu para ficar com o balão, toda feliz. Eu disse que antes a gente precisava ver se não era de alguma criança que tinha perdido, e ela já disse que não era não, que era o balão dela que tinha voltado pra ela rsrsrsrs. Dava para ver que o balão não era novo (o Mickey dentro estava com metade do tamanho normal, já estava um pouco murcho). Eu acho que era de alguém que foi embora, e deixou o balão ali, isso acontece bastante. Mas para garantir deixamos o balão do lado mais de meia hora para ver se alguém vinha pedir, e perguntávamos para quem passava, e não era de ninguém. Deixei então a Ellerim ficar com o balão, e ela ficou muuuuito feliz! Levou para o parque naquele dia e não desgrudou até a hora de irmos embora. Foi muito mágico. Depois do parquinho fomos para o Lobby do hotel, e as meninas ficaram na salinha de TV enquanto eu resolvia as últimas questões do check out para o próximo dia.

Fomos então para o quarto chamar todo mundo para almoçar no restaurante do hotel, para depois seguirmos para nosso último dia de Magic Kingdom.

Dia 20/11/2010 (Sábado) – Hotéis da Disney: Animal Kingdom Lodge, All-Star e Caribbean Beach.

Na noite anterior dormimos muito tarde. E como a Ellerim tinha dormido no quarto da mãe, e elas tinham saído cedo para o Busch Gardens, a gente não tinha compromisso. Acabamos saindo do hotel perto das dez horas. Nosso destino era o Animal Kingdom Lodge, e eu estava ansiosa pra conhecer esse hotel. Será que era realmente espetacular como diz a propaganda?

Read More »

Este Video da Disney é muito legal!


New Travel Series Explores Disney Parks


Dê uma olhada no que os hotéis da Disney tem para oferecer!

Dia 18/11/2010 (Quinta-feira) – Magic Kingdom, Polynesian e Boardwalk


O dia começou cedo! 
De novo a Ellerim acordou contrariada, também, sete da manhã! Mas era por uma boa causa. Saímos cedo para chegar no Magic Kingdom antes das oito, e pegar o parque abrindo para as Magic Hours. 

Ainda bem que a gente tinha um monte de besteiras pra comer no quarto (bolachinhas, dunuts e sucrilhos), e só passamos no restaurante do hotel para encher a Mug de café, e fomos direto para a fila do ônibus. Olha, ninguém acredita em mim, mas por mais perto do parque que seja o hotel, a gente leva meia hora para chegar na entrada do parque… é um tal de entra no carro, guarda carrinho, coloca na cadeirinha, pega fila do estacionamento, estaciona na fileira que eles mandam (que às vezes é longe pra dedéu), espera outra fila para o trenzinho, pega mais uma para o monorail… afeee…. não chega nunca! Por isso resolvemos ir de ônibus, e no final deu super certo. 

O ônibus chegou logo, e paramos bem na frente do parque, e ainda não eram oito horas. Mas nessa hora eu não sabia nada ainda à respeito da contagem regressiva. Só queria mesmo chegar cedo. Então, imagina a minha surpresa quando apareceu o Prefeito na frente da estação, dando as boas vindas a todos, e anunciando a chegada do trem junto com uns bailarinos dançando (aqueles que dançam na Main Street). Logo em seguida veio o trenzinho com o Mickey, o Pluto, a Margarida, a Mary Poppings, a Branca de Neve, a Alice e o Stitch. Que fofooooooo!!!!! E todos fazem juntos a contagem regressiva para abertura do parque, com uma música de fundo. Sabe, não é nada de mais, nenhum show espetacular, mas é uma maneira maravilhosa de começar o dia. E sendo surpresa então, sem nenhuma expectativa, ficou melhor ainda. Eu fiquei suuuuper emocionada. 

                                
                                

Pena que a mãe tava tão agoniada pra entrar logo no parque (acho que ela nem viu a contagem) e a Ellerim ainda apagadinha com sono. Mas eu fiquei eufórica e feliz, feliz, feliz. 

Chegar cedo no parque é tudo de bom, é outro clima, e a gente consegue fazer tudo sem fila. E receber as boas vindas é muito legal também. 

Assim que entramos já tinha um carro daqueles antigos, de dois andares, parado bem na frente da estação, e a motorista era uma simpatia. Entramos já no carro e fomos para o segundo andar, para passear pela Main Street ainda vazia. E então, a maior surpresa, aquele quarteto de vozes que usa colete listrado se pendurou na escada do carro e foi o caminho inteiro cantando! Gente, que demais isso! Pena que a única bem humorada nessa hora era eu, mas achei simplesmente fantástico. Chegamos na frente do castelo e já tiramos fotos com a motorista e os cantores, e os cinco entraram no carro e foram embora abanando. 


A mãe foi passear um pouco sozinha, porque ela adora ficar só passeando e curtindo o local, e no final pra acompanhar a gente ela acabava só fazendo coisas de criança, então resolveu ficar sozinha um pouco. 

Nessa hora acho que a Ellerim finalmente acordou, e pediu, pediu, pediu “por favoooooorrrrr” pra gente voltar para a praça para tirar foto com a Margarida, que é a personagem favorita dela. E lá fomos nós, porque é raro a Ellerim pedir pra tirar foto com personagem. Ficamos uns minutos na fila, e quase na nossa vez a Margarida saiu para “retocar a maquiagem”. Mas foi super rápido, e logo tiramos a foto da Ellerim e sua melhor amiga. 
Como estávamos ali, já fomos pra estação pegar o trenzinho, que todos amam! Mas não é que a primeira estação, na terra do Mickey, estava fechada! Eu não sabia que só abria às dez. fomos então até a próxima estação, na Terra da Fronteira. 

E quando chegamos lá, mais uma surpresa! Tinha um homem vestido como se fosse da limpeza, com um balde e uma vassoura. Daí ele molhou a vassoura na água e começou a pintar personagens no chão. Nossa, o efeito foi lindo, o desenho era perfeito. Depois ele entregava a vassoura para as crianças pintarem as orelhas. A Ellerim amou, não queria mais sair dali. Nossa, quanta gente talentosa tem lá. 
Aproveitamos que era bem na frente de um quiosque e já tomamos café e comemos um Pretzel delicioso. Eu e o Mauro fomos na Big Thunder Mountain Railroad. Enquanto isso, a Rô ficou com as meninas no parquinho do Splash Mountain (uma casinha com escorregador). 

Nós resolvemos pegar o trenzinho de novo e voltar para a Terra do Mickey. Acho que fomos os primeiros a chegar! Estava tudo vazio. Isso foi bem legal, pois normalmente a gente só pode passar vendo as casas do Mickey e da Minnie numa fila, sempre cheio de gente. Mas assim as meninas puderam brincar mesmo, principalmente na casa da Minnie, que a cozinha é interativa. 


Em seguida já fomos tirar fotos com as princesas, e a Mannu também foi pra fila das fadas, enquanto a gente esperou no parquinho lá fora, aliás, um parquinho perfeito pra idade da Ellerim. Acho que nessa idade as crianças gostam mais dos parquinhos do que das atrações, porque elas têm muita energia pra gastar. Também fomos duas vezes na The Barnstormer at Goofy’s Wiseacre Farm, e eu e a Ellerim fomos no primeiro carrinho. Ela achou o máximo, e queria também brincar no barco do Donald, mas o clima não tava pra tanto (é um parquinho molhado). 


Nisso já estava todo mundo com fome. Era cedo, mas ninguém tomou café direito, então ligamos pra mãe, e nos encontramos no Pinocchio Village Haus. Eu adoro esse restaurante. Nós sempre pegamos uma mesa ao lado do vidro, porque é um barato ficar vendo o Small World, e sempre tem um pessoal que abana dos barquinhos, e a Ellerim adora. E é um ótimo restaurante de Quick Service do dinning plan. 

Terminamos de almoçar ainda bem antes do meio dia, e fomos correndo fazer as outras atrações da Terra da Fantasia nos nossos últimos minutos de parque vazio. Fizemos o Peter Pan, que é o meu favorito (adoro sobrevoar Londres iluminada, e achei a atração mais legal ainda depois de ver como ela foi planejada no “One Men’s Dream” no Hollywood Studios). 

Depois fomos no Pooh, que nessa época ainda estava em reforma, com tapumes por fora. Mas não tinha fila nenhuma. 

Resolvemos então ir no Carrossel do Progresso, e não é que a Ellerim e o Mauro dormiram! Tudo bem, não dá pra culpar eles, ainda mais o Mauro, que já tinha ido no outro dia. Mas eu aproveitei e tirei várias fotos sem flash, e ficaram bem legais. Sei que muita gente acha essa atração um tédio, mas quando eu assisti a primeira vez em 1984 foi realmente impressionante. Pra gostar, a gente tem que pensar nessa atração em perspectiva, é a atração mais antiga de toda Disney (é como assistir um filme clássico). Eu achei uma pena eles terem trocado a música dessa atração (sabe, aquela… Now is the time, now is the best time. Now is the best time of your life. Life is a prize, live every minute. Open your eyes and watch how you win it!), pensei: como eles podem ter trocado uma música tão tradicional?!?!?! Então, há alguns meses escutei num podcast do WDWToday eles explicando a polêmica. Mal sabia eu que a música nova é na verdade a música original, da época em que a atração estava na Califórnia – a There’s a Great Big Beautiful Tomorrow. A música que eu achava que era a tradicional foi colocada quando a atração veio para Florida. Então, quando voltaram para a música da Califórnia, os fãs originais ficaram exultantes, mas os novos fãs, da Florida, ficaram indignados! Rrsrsrsrs não tem como agradar todo mundo mesmo né! 

Enfim, como já estava na hora da Parada, fomos direto para a Main Street, e eu tive que acordar a Ellerim, porque ela ainda estava ferrada no sono, deitada no carrinho. A parada foi linda como sempre, mas a Ellerim tava meio banza de sono, ela só despertou mesmo no final. Então, fomos tomar um café na Bakery da Main Street, sempre uma parada obrigatória. Mas por incrível que pareça, cada um ficou com vontade de ir ao banheiro só quando o outro voltava pra mesa, e entre todo mundo ir e voltar, ficamos mais de uma hora ali! E eu não sei o que aconteceu nesse dia, se era o calor ou o quê, mas tava todo mundo mau humorado, principalmente a mãe e o Mauro. Eu fiquei sem paciência com os dois, e também fui ao banheiro, e na volta fiquei uns 15 minutos passeando pela Main Street, para não me deixar afetar, afinal, como é que alguém consegue ficar mau humorado no lugar mais maravilhoso do planeta. Se for pra ficar mau humorado que seja em real, em dólar não dá né! Decidi que não ia mais falar com os dois. Bom, viajar em grupo e com crianças é assim… 

Esse era o segundo dia de Magic Kingdom, e ainda teríamos mais um. Então, eu resolvi ir passear um pouco de Monorail. Era hora de se separar, porque de noite eu e o Mauro iríamos jantar no Boardwalk com a Rafaela e o Paulo, e a Mãe e as meninas iriam jantar no Chef Mickeys, e iriam ficar no parque até a hora do jantar (elas só conseguiram o Chef Mickey’s para dez da noite!).
Então, eu e o Mauro saímos do parque, e fomos passear de Monorail. Primeiro fizemos uma volta completa, e ele começou a ficar mais tranquilo. Resolvemos então parar no Polynesian para conhecer, já que nessa viagem eu queria fazer um tour pelos hotéis da Disney. Eu fiquei encantada com o hotel, muito mais bonito do que nas fotos. Todo tematizado, tudo muito chique, mas ao mesmo tempo bem à vontade. A praia é linda, com vários barcos para alugar e cadeiras para descansar. A piscina é super divertida, e tem tobogã. A vista então, maravilhosa. Tem um restaurante Quick Service, e já comemos um snack com nosso dining plan e tomamos um café. Foi muito gostoso. O Mauro até achou uma máquina de moedinhas! 

Em seguida, pegamos o Monorail de novo, e paramos no Grand Floridian. Gente, esse hotel é um espetáculo à parte! É um dos hotéis mais lindos que já vi. O atendimento é impecável, e ninguém pergunta se você é hóspede ou não. Sempre tem música ao vivo no saguão, de uma banda no 2º andar, na frente do bar, ou no piano de cauda na parte central do Lobby, com tapetes persas inacreditáveis. E as escadarias, os lustres de cristais, o mármore decorado no chão, flores, flores e mais flores… nossa, o lugar é tão lindo que não tem nem como descrever. 

Acho que naqueles dias infernais de quente no MK a gente deveria sempre fazer isso, dar uma paradinha depois do almoço, pegar o Monorail e passar uma meia horinha naquele oásis, recuperando as energias. É Muito simples de fazer, o Monorail fica do lado daquele que vai para o estacionamento, e é só entrar, e descer na parada do hotel que quiser, ou até ir de barquinho. 


Passeamos um pouco e logo voltamos para o Magic Kingdom pra pegar o ônibus para o Hotel, tomar um banho e se arrumar para o jantar. Meia hora depois chegamos no Pop. 

Só quando a gente estava no quarto se arrumando, em cima da hora, é que o Mauro perguntou onde ele tinha deixado a chave do carro… não é que ele esqueceu dentro da mochila da Ellerim, que a gente deixou com a mãe no parque! Ainda bem que o Boardwalk fica muito perto do hotel, e resolvemos ir de taxi mesmo, mas o prejuízo foi pequeno, a corrida saiu só $ 7. 

Já estávamos atrasados, e quando chegamos na frente do restaurante da ESPN o pessoal já estava esperando a gente, a Rafaela, o Paulo, a Thais e o Fabiano. Já passavam das oito, e tava todo mundo morrendo de fome. Como todos tinham o dining plan eu tinha dito pra gente jantar num restaurante Quick Service de algum dos hotéis. Antes de viajar, eu pesquisei na net se todos os hotéis da Disney tinham restaurante Quick Service, e todos que olhei tinham. Os únicos que não pesquisei foram os do Boardwalk, mas se todos os outros tinham, esse também iriam ter né… ledo engano… fomos caminhando de hotel em hotel, e nenhum deles tem Quick Service para o jantar… pelo menos conhecemos os hotéis, mas quando se está roxo de fome, a gente não consegue prestar atenção em muita coisa né. Bom, como estávamos já na frente do Yatch Club Resort, resolvemos atravessar a ponte e ir até o Swan (ou Hotel do Ganso, como diz a minha mãe), que tem dois restaurantes, o Garden Grove (aquele que tem uma árvore no meio) e um japonês. Chegando lá, todo mundo decidiu ir ao Garden Grove, porque o Pateta estava lá (era para ter o Pluto também, mas ele tinha acabado de ir dormir). Foi uma ótima decisão. Era noite Mediterrânea, e a comida estava excelente, e a gente conversou muito, e riu muito também. Foi super divertido, e a companhia excelente. Essa foi a segunda viagem que encontramos a Rafaela e o Paulo sem combinar (a primeira foi em Buenos Aires, ficamos em hotéis vizinhos, e dessa vez ficamos no mesmo hotel). A mesa de sobremesas também estava maravilhosa. 


Saindo dali a gente ouviu uma barulheira imensa… nossa, não é que o restaurante japonês tinha Karaokê, e o pessoal tava prá lá de Bagdá, fazendo o a maior barulheira! Ainda bem que a gente escolheu o outro… 

Nós estávamos sem carro, mas eles estavam num carro bem grandão, e deram uma carona pra gente até o hotel. No final, foi um dia bem movimentado, e bem divertido também. Nem sei se as meninas já tinham chegado, pois nesse dia a Ellerim ficou no quarto delas. No outro dia a mãe falou que se arrependeu de ir ao Chef Mickey’s, pois foi muito cansativo esperar até às dez, e elas estavam mortas na hora do jantar, e não conseguiram aproveitar. Acho que quando tem programa assim tarde com criança é fundamental dar uma paradinha no hotel na metade do dia. 

Quando eu fui dormir eu pensei… como o tempo passa rápido na Disney, a viagem de 22 dias, que parecia muuuuito tempo, já tá quase chegando ao fim… 

Dia 16/11 (terça-feira) – Downtown Disney

Não tínhamos compromisso nesse dia, era meio que nosso dia de folga. Arrumei a Ellerim fazendo “orelhas” com o cabelo dela, e coloquei uma camiseta que tem o corpo da Minnie, mas sem cabeça, pra parecer que a cabeça da Minnie é a cabeça da criança que está usando a camiseta. Ainda pintei o cabelo dela com uma tinta spray rosa que compramos na loja de um dólar. Ela ficou fosíssima, e escolheu o óculos do Mickey pra completar.
 Fomos tomar café no restaurante do Pop, e tinha um funcionário com uma máquina de fazer bolinhas de sabão na frente da piscina, e a Ellerim adorou. 
A Manu tinha hora marcada na Bibbidi Bobbidi Boutique às dez, e já tinha ido para Downtown Disney com a  mãe e a Rô mais cedo. Eu já tinha reservado a Bibbidi Bobbidi por telefone do Brasil. Não precisa pagar antecipado, apenas deixar o número do cartão de crédito como garantia.  Eu reservei só o plano básico de US$ 59,90, que inclui cabelo, mãos e maquiagem, e ainda ganha o estojinho de maquiagem. A atendente me disse que era melhor fazer a reserva pelo básico, e escolher a fantasia e acessórios só na hora. Eu achava que eram só planos com preços fixos (tipo, só maquiagem ou maquiagem com fantasia). Mas na verdade, a gente paga esse básico, e o restante é o preço exato da fantasia e acessórios que a criança escolhe (pode escolher só vestido, ou incluir sapatos, coroa, faixa, enfeites para cabelo etc), e comprar a fantasia com ou sem o Bibbidi Bobbidi é o mesmo preço. O pacote completo que é perto de $ 200 tem uma fantasia e alguns acessórios, mas se quiser, pode escolher tudo avulso. Até aquela faixa de princesa tipo Miss dá pra comprar. Tem de tudo, de todos os personagens… dá pra ficar bem louca! Mas a Ellerim não quis fazer, e por isso saímos do hotel um pouquinho mais tarde. Decidimos ir de carro, e estacionamos perto do Planet Hollywood. O tempo tava feio, mas não chegou a chover. Já liguei pra mãe no Walk Talk, e nos encontramos com elas na loja The World of Disney. Era perto do meio dia, e a Manu tinha acabado de ficar pronta. Ela escolheu a fantasia da Hannah Montana (já é uma mocinha né), e estava feliz da vida com a produção. Primeiro ela tinha escolhido a fantasia da Alice, mas depois achou muito sem graça, e acabou trocando. O cabelo estava super produzido. Ela adorou tudo (mas a fada madrinha não apareceu, acho que ela só aparece no castelo…). 
Ali na frente da Bibbidi Bobbidi eu vi uma cena que me deixou triste. Um casal americano estava escolhendo a fantasia pra filha, que devia ter uns 6 anos. O casal ficava conversando e escolhendo a fantasia e os acessórios sem nem olhar pra menina, bem sérios, e a menina só ficava atrás sem falar nada, e sem muita alegria no olhar também. Depois que eles escolheram tudo, a menina pediu pra trocar a coroa pequenininha de metal e strass que eles escolheram por uma grande de plástico. O pai foi super seco com a menina, dizendo que aquela era a ideal pro tamanho dela, e que não tinha mais conversa. Nossa, achei horrível aquilo. Afinal, era um dia de princesa pra ela ou pros pais? Aquilo que era para ser um dia de sonhos se transformou num momento de frustração. Bom, essas coisas fazem a gente pensar não é mesmo. Existe uma grande diferença entre impor limites e fazer com que o filho viva de acordo com as nossas imposições. Bom, mas seguimos adiante, e a Ellerim já ficou feliz da vida por ver a Manu, e só queria brincar. Eu fiquei pedindo pra ela ir ao banheiro, mas não teve jeito, até que acabou acontecendo o “acidente” que eu já tinha previsto. Bom, aquela loja é imensa, e o banheiro ficava do outro lado do mundo. Saí correndo com ela no colo pra trocar de roupa, e ela não parava quieta. Depois atravessamos a loja de novo procurando o pessoal, e quando chegamos do outro lado da loja a Ellerim quis ir ao banheiro de novo… lá fui eu carregando ela e a mochila correndo, atravessando a loja inteirinha até chegar no banheiro de novo. Bom, essas são as partes cansativas de viajar com criança, mas faz parte né. Acho que entre as duas maratonas levei quase uma hora, e acabei perdendo um pouco a vontade de ver o resto da loja. Até porque a mãe começou a me deixar doida porque estava com fome, ela tomou café bem mais cedo que a gente. Fomos então para o Wolfgang Puck Express que fica perto do Rainforest Cafe, que eu tinha ouvido ótimas recomendações. Olha, os pratos eram realmente excelentes. Massas e salmão, todos lindos. E de sobremesa tinha sorvete com Chocolate Chips ou crème brûlée. Altíssimo nível para o Dinnig Plan. Aliás, acho que foi uma das melhores refeições que fizemos com o plano de alimentação. E a refeição infantil vinha com um copo plástico souvenir. Foi tudo ótimo. Depois fomos passear pelas lojas de Downtown Disney, sem compromisso. Começamos pela do Rainforest Café, e a Ellerim ficou vidrada nos aquários. 
E fomos seguindo uma por uma, e são todas lindas. Quase todas as lojas têm bonecos na frente, para tirar fotos, e é uma diversão só, ir de personagem em personagem abraçando e tirando fotos. 
Tem uma loja só de doces, do Pateta, uma de Pin Traders, e outra de cair o queixo, com tudo de natal.  Isso sem falar na loja de esportes, que tem de tudo de todos os esportes, e a loja da Lego, que é de ficar louca, com uma escultura mais legal que a outra, tudo feito de lego. Mas a que eu mais gosto é a Mickey’s Pantry. Uma loja que tem de tuuuudo pra cozinha. Eu amo essa loja, e metade da minha cozinha já é do Mickey. Cada viagem eu aproveito pra comprar mais alguma coisa, além de ser um dos poucos lugares que tem o café aromatizado, que eu amo. Depois, pra acalmar as crianças, fomos na Once Upon a Toy, uma loja de brinquedos linda. Já na entrada tem um suporte enorme que vem desde o teto e termina numa mesa, cheia de peças para o Senhor Batata. A gente pega uma caixinha vazia, e pode encher com as peças que quiser por $ 19,99. Muito divertido, e além disso tem vários senhores Batatas expostos em duas mesas para as crianças brincarem. Mais na frente você pode montar seu próprio sabre de luz, do jeito que quiser. E então tem o setor de brinquedos eletrônicos e vídeo games. Tem uns vídeos pendurados no teto, com vários controles para ficar jogando. No final da loja tinha um castelo lindo, e tudo para princesas. Em janeiro a Ellerim ficou super triste quando entrou nessa loja, pois o castelo não estava mais lá. Eu achei até que ela tinha se confundido, mas perguntei para um vendedor e ele confirmou que tiraram o castelo que tinha ali. Uma pena, porque era mais bonito antes. Compramos muitas coisas, e pedimos para entregar tudo no hotel… ô coisa boa! 


Descobri que em Downtown tem tantas atividades para crianças, que elas se divertem quase tanto quanto no parque. Podem montar carrinhos de legos para brincar na pista, montar senhor batata, procurar ossos de dinossauros em uma escavação, andar de trenzinho e carrossel, montar seu próprio dinossauro, jogar video game e tirar fotos com os bonecos na frente das lojas e animatronics nos restaurantes. E a decoração das lojas é simplesmente fenomenal, indescritível. Acho que só visitar o interior das lojas, com bonecos imensos, trens que passam em trilhos suspensos, personagens voando e uma infinidade de detalhes maravilhosos já vale o passeio. E assim passamos a tarde, passeando, olhando lojas, brincando e comprando. Passeamos por toda Downtown Disney, até o Cirque du Soleil e voltamos, passando pela Pleasure Island. 

Embora as boates estivessem fechadas, o local permanece aberto, e bem divertido, com música ao vivo e bastante movimento. Já estava anoitecendo, e resolvemos pegar o barquinho no píer de Pleasure Island e visitar algum hotel. Pegamos logo um para o Saratoga Springs, que fica do outro lado do lago, bem em frente. É só chegar e pegar o barco, que tem um “marinheiro”, e ninguém pergunta se você é hóspede ou não. O passeio de barco é bem bonito, e vale à pena, pois a vista de Downtown Disney é linda quando passeamos pelo lago. Chegamos no píer do hotel, e estava tudo meio escuro. A gente não sabia bem aonde ir. Os hotéis da Disney são muito grandes, e as coisas ficam meio espalhadas. Nem todos tem um hall central com todos os restaurantes. E esse é um deles. Mas logo conseguimos achar o restaurante Quick Service do hotel, que fica do lado da lojinha, e na frente da piscina. A piscina é bem bonita, e a Rô achou que foi ali que foi gravado High School Musical II, mas não conseguimos confirmar isso. 

No hotel só tinham americanos. Parece que é um hotel para famílias, que os maridos vão para jogar golfe, enquanto as mulheres vão com as crianças para a Disney. Jantamos no restaurante quick service com nosso plano de alimentação, e comemos flatbread, que é tipo uma pizza, mas com a massa bem fininha, e estava delicioso. Depois, voltamos para o píer para esperar o barco, pois já estava bem tarde, e esperamos uns 15 minutos. Quando atravessamos o lago de volta conseguimos ver bem de longe os fogos de artifício do Magic Kingdom. Voltamos em seguida para o Hotel, e ainda passeamos um pouco pela lojinha e restaurante, mas ninguém conseguiu comer mais. E assim terminou nosso dia de descanso.  

Dia 14/11 (Domingo) – Café da Manhã no Pop


Acordamos às sete e meia, pois às oito era nosso café da manhã com a Rafaela e a Marcinha.  Fiquei com medo de acordar a Ellerim, porque ela tinha ido dormir muito tarde e tinha um grande risco de ficar antissocial, então só abri a porta conjugada para o quarto da mãe e fomos eu e o Mauro para o restaurante. Estávamos chegando e já ouvi uma voz me chamando, e era a Rafaela. Sentamos e começamos a conversar, e logo chegou o resto da turma (o Marido dela, Paulo, e o outro casal, Thais e Fabiano). É engraçado, porque esta foi a segunda viagem que nos encontramos sem combinar antes (sério mesmo, nas duas vezes descobrimos que estaríamos no mesmo lugar e no mesmo hotel apenas depois das passagens compradas). Era o aniversário de casamento da Rafaela e do Paulo, e eu, o Paulo e o Fabiano temos a mesma profissão, então temos bastante assunto em comum, e ficamos falando um tempo quando lembramos de ir buscar a comida… ficamos olhando, mas nada da Marcinha. Quando a gente já tinha começado a comer, e eu e a Rafaela falando sem parar, ouvi de novo o meu nome… e era a Marcinha! Ela e a família inteira! Logo eles conseguiram sentar na mesa ao lado da nossa, e também foram pegar comida. Mas estavam um pouco preocupados, porque tinham comprado os ingressos pra Universal e não estavam conseguindo encontrar (já pensou!). Mas o filho da Marcinha conseguiu falar pelo celular com outra pessoa da família, e no final conseguiram resolver. Eu vi como é bom ter celular quando a gente viaja com mais pessoas, e decidi que nunca mais vou viajar sem. Depois de comermos conseguimos conversar um pouco com a Marcinha e o pessoal dela, e fiquei arrependida de não ter trazido a Ellerim pra brincar com a filha da Marcinha. Depois a mãe também chegou, e foi muito legal o café da manhã. A mãe disse que dava para ver que a família da Marcinha era muito gente boa. Tiramos uma foto para registrar o “evento”. 

Dia 12/11 (sexta-feira) – Boardwalk – Epcot – Garden Grove – Disney Floral & Gifts


Coloquei o endereço do restaurante Garden Grove no GPS, e fomos direto, cinco minutos do hotel. O que eu não sabia é que o estacionamento nos hotéis Swan e Dolphin é pago (US$ 12 a diária), e todos os demais hotéis do Boardwalk tem estacionamento gratuito para hóspedes. Paciência. Deixamos o carro lá mesmo, porque a gente nem pegou mapa. Eu estava bastante ansiosa, porque nas três últimas viagens minha tentativa de visitar o Boardwalk não deu certo, e eu realmente queria muito conhecer. E fiquei de boca aberta desde o início. É ainda mais bonito do que eu imaginava. Simplesmente fenomenal. E para quem chega direto pelo Boardwalk, vale a pena voltar ate o Hotel Swan, passando pela ponte, porque o caminho também é lindo.  Não é grande (bem menor do que eu imaginava), mas os hotéis indescritivelmente lindos, o lago com o deque de madeira, e a praia, as lojas, restaurantes, mágicos e malabaristas de rua, bicicletas, tudo com a bola do Epcot no fundo, muito maravilhoso. Fica ao redor de um lago, e simula um vilarejo dos anos 30 em Atlantic City. 


E que clima… na frente do restaurante da ESPN o Mauro encontrou uma máquina de moedinhas prensadas, e ficou todo feliz fazendo as moedinhas dele. Eu estava extasiada. E tem ainda uma boate com entrada gratuita (mas nessa não fomos por causa das crianças). 


Descobri que a entrada do Epcot era bem pertinho, e como tínhamos um dia de parque sobrando, resolvemos ir à pé até o Epcot, para ver a sensação de entrar pelo International Gateway (sabe aquela lojinha meio escondida depois da Inglaterra, quando você não entra à esquerda para a ponte da França, e segue reto, então, é atrás dessa loja). Quando a gente começou a atravessar a ponte que liga o Boardwalk ao Epcot já começamos a ouvir as músicas dos Beatles vindo da Inglaterra, e a música foi aumentando, e eu até me arrepiei… como é maravilhoso a gente chegar num lugar que a gente ama, e ainda ouvindo uma música especial pra gente (eu e o Mauro somos muito fãs de Beatles, tanto que no nosso casamento o Mauro entrou com Yesterday, cantada por um tenor). Foi tudo muito romântico. Eu adorei entrar no Epcot pelo World Showcase, achei uma experiência bem diferente. Fomos direto pra França, e quando estávamos atravessando a ponte do “Canal da Mancha” eu fiquei muuuuuito boba de orgulhosa da Ellerim, porque ela olhou pra frente e deu um berro “Mãããe, olha a Torre Eifel”… que fofa, eu nem tinha comentado com ela que sobre a torre… That’s my girl! 



Chegamos na França e eu estava louca para usar nossos snacks. E era dia de International Food & Wine Festival. Foi a primeira vez que peguei o festival, e não sabia bem como funcionava. É assim, há várias barraquinhas ao redor de todo o lago, e as barracas vendem comidas e bebidas típicas de vários países do mundo (não apenas os países do parque, mas de muitos outros, inclusive do Brasil). São porções pequenas (pode comprar com snacks do plano de alimentação). Não há mesas com cadeira para sentar, então, a pessoa tem que comer em pé (tem apenas algumas mesinhas altas para apoio). Demos uma olhada, e deixamos para conhecer melhor no dia seguinte, que também era de Epcot. Fomos direto para a Boulangerie Pâtisserie, que eu AMO. Tinha uma filinha normal, e eu e o Mauro pegamos uma bomba, um folhado, uma espécie de Carolina, com uma montanha de creme, uma torta de limão e um café (tá, foi um pouquinho de exagero, mas eram dois anos sonhando com isso…), e o melhor: tudo de graça! Foram 5 snacks. 



Entramos na lojinha que tem nos fundos (aquela da saída do filme, onde tem o Kidcot), porque lembrava que ali tinham mesinhas, e comemos enquanto a Ellerim e a Manu brincavam no Kidcot. E estava tudo inexplicavelmente maravilhoso, um sonho! Passamos na loja de vinhos, e compramos um Beaujolais por $ 6 (eu fiquei namorando o Châteauneuf-du-Pape, que estava $ 11, mas resolvi deixar para outro dia). A mãe tava toda agoniada, e não queria me esperar, e acabou comprando sozinha um vinho do festival, que além de mais caro vinha bem menos (a taça da loja vem bem cheia, e a do festival vem quase pela metade), e ficou reclamando um pouco (quem manda ser agoniada…). Saindo dali, resolvemos só passear, sem compromisso. Chegamos até a Alemanha, espiamos a Karamell Küche, e resolvemos voltar, pois estava quase na hora do nosso jantar. Voltamos à pé pelo mesmo caminho, passando pelo Boardwalk, que também é lindo à noite. Fomos até o Hotel Swan, e já vimos o restaurante Garden Grove (que não aceita plano de alimentação da Disney, por ser terceirizado). Os personagens da noite eram o Rafiki e o Timão. Entrando no restaurante já vimos a árvore iluminada bem no meio, e nossa mesa era bem embaixo da árvore. Eu achei o ambiente fenomenal. 



Este restaurante tem um cardápio por dia, e é buffet com algum prato feito na hora. Neste dia era noite de frutos do mar, e tinha caranguejo gigante. O prato feito na hora era risoto. A mesa de sobremesas era um espetáculo à parte. E também tinha o buffet infantil. A Ellerim nesse dia estava bastante tímida, e não quis saber do Rafiki de jeito nenhum. Depois, também não quis tirar foto com o Timão (acho que ela foi pega de surpresa, porque eu tinha dito pra ela que o Pluto ia jantar com a gente, e, convenhamos, o Rafiki é feio pacas). Mas eu já aprendi a não ficar forçando (o Mauro teve que me ensinar, porque eu, como nunca fui tímida, não conseguia entender isso), e com o tempo ela foi se soltando, e um pouco mais tarde os personagens voltaram, e ela acabou adorando o Timão. Uma hora eu tava distraída na mesa, e o Rafiki veio por trás e encostou o rosto na minha orelha, e eu dei um berro de susto, que fez o restaurante inteiro olhar pra mim e começar a rir das palhaçadas dele. Isso é legal desse restaurante, pois como ele não é tão cheio, os personagens dão um pouco mais de atenção às mesas (não só aquela passada corrida dos outros restaurantes com personagens). No final, usamos sem problemas o cupon de $ 25 que comprei por $ 3 no restaurat.com (um baita negócio). Saímos do hotel e fomos até o Boardwalk correndo, porque vimos de longe os fogos no Epcot. Eu fui correndo na frente com o carrinho da Ellerim, e quando cheguei na frente do lago vimos os dois últimos fogos, lindos. Começamos a voltar para o Swan, e quando já estava na ponte que liga o Boardwalk ao hotel começamos a ouvir os fogos de novo, e lá vou eu mais uma vez correndo na frente com o carrinho da Ellerim, e quando chegamos na frente do lago vimos só os dois últimos fogos de novo. Esperamos mais um pouquinho e nada, e demos a volta, e quando já tava quase na ponte começou de Novo! Dessa vez vi dali mesmo… ainda bem, porque era só o finalzinho. Mas já foi bem legal. Imagino que deve ser muito maravilhoso ficar em algum desses hotéis do Boardwalk. Voltando para o estacionamento, passamos de novo por dentro do hotel Swan, e entramos na lojinha para conhecer (fiquei feliz de ver que a do Pop é até melhor), visitamos o saguão e depois casa! 

Quando chegamos no quarto, SURPRESA! Tinham 2 presentes lindos pra Ellerim em cima do balcão da TV, um do Mickey e outro das princesas, e ela ficou eufórica. 


Eram os presentes que compramos no Disney Floral & Gifts, o serviço de entregas da Disney (as compras são pelo telefone 407-827-3505). O primeiro era o “A Royal Welcome”, das princesas, que custou $ 36,00, e tinha pirulito, um álbum de autógrafos com lugar para fotos, uma caneta e uma coroa que pisca, tudo das princesas. O outro era “Mickey, Minnie & Me” que custou $ 67,00 e tinha chapéu infantil com orelhas do Mickey (pode personalizar por US$ 8,00), um porta retrato de madeira do Mickey, uma caneta com livro de autógrafos simples, um livrinho para colorir, folhas soltas para colorir, canetinha, giz de cera, e um estojo lindo da Minnie, com 3 fechos, completo, uma cesta grande com 4 cestas pequenas, um Mickey e uma Minnie de pelúcia de tamanho médio. O custo total com entrega e taxas foi de $ 118,70. A Ellerim realmente gostou, tanto que até as cestinhas ela amou, e usou pra guardar os brinquedos a viagem inteira (imagina, chegar na Disney e ganhar presentes das princesas e do Mickey! Mágico né…). Foi a primeira vez que usamos o Disney Floral, e adoramos! Mas achei o custo benefício do Mickey bem melhor que o das princesas.

Dia 12/11 (sexta-feira) troca de hotel e chegada na Disney


Saímos do Hotel Econo Lodge Inn & Suítes às onze horas. Um funcionário disse que não precisava fazer check out, e esquecemos completamente de ir buscar os US$ 28 que a mãe deixou de garantia em dinheiro (lembrei só no Brasil). O GPS fez um caminho bem curtinho, e logo estávamos vendo aquela placa maravilhosa: Walt Disney World – Where Dreams Come True. Nossa, que emoção, é uma sensação de felicidade muito grande. Parecia que estávamos começando uma nova viagem, e que aquele era o primeiro dia. Chegamos bem rápido no hotel, e o Mauro estacionou e eu já fui sozinha para o check in (larguei ele com a Ellerim e as malas). Eu fui rápido porque não fazia idéia se teria fila ou não. Escolhemos esse dia para chegada porque era o primeiro dia de plano de alimentação grátis (com o plano nosso pacote ficou com preço muito bom, 10 diárias, 8 dias de ingressos, transporte e toda a alimentação por um total de $ 1.957 para os três). Cheguei no Lobby e não tinha nenhuma pessoa na fila, e fui atendida na hora por um rapaz bem simpático, e um tanto atrapalhado. Ele me disse que conseguiram quarto para a gente nos anos 50 (como havia pedido por telefone uma semana antes), no prédio do Vagabundo (eu pedi a Dama ou o Vagabundo), e também o quarto conjugado para a mãe e a Rô, e que todos os quartos já estavam prontos! Melhor impossível! Logo a mãe chegou, e fui ajudar ela a fazer o check in, mas nisso o meu atendente esqueceu nossos bottons de comemoração, e os brindes (as tags das malas, e os cupons de desconto e para usar no fliperama). Mas pedi para a atendente da mãe, e ela me deu tudo. Eu e o Mauro ganhamos o bottom de aniversário de casamento, a Manu ganhou o de aniversário, e todos nós ganhamos o de reunião familiar. Muito legal os bottons. Eu e o Mauro colocamos na alça da bolsinha do dinheiro/passaporte, e usávamos todos os dias. Pegamos nossas chaves do quarto, uma para cada um, com o nome impresso, e elas já eram também nossos ingressos e nossos cartões de crédito e de alimentação. Explicaram que cada quarto tinha direito a 60 refeições completas (prato + sobremesa + bebida) e 60 snacks, que poderíamos consumir na ordem que quiséssemos (até o final de 2011 o Quick Service tem direito a 2 snacks por dia por pessoa, mas a partir de 2012 passará a ter apenas 1 snack por pessoa por dia). Quando escolhemos sorvete de sobremesa, eles carimbam o ticket, que vale por 90 minutos, para poder voltar e pegar o sorvete. E ganhamos ainda a Mug, para poder beber qualquer coisa no hotel (como as refeições incluem bebida até no hotel, pegávamos garrafinhas de água ou gatorade para levar para o quarto e para os parques, e tomávamos o refri/café com a caneca). Nesse tempo que ficamos fazendo o Check in, as meninas ficaram na sala de TV do Lobby, que é muito fofa, com as paredes todas pintadas, e com duas máquinas de fliperama grátis. 



Já fomos até a lojinha e o restaurante, fazer nossa primeira refeição, antes mesmo de entrar no quarto. Eu peguei uma carne com brócolis e arroz, e o Mauro um macarrão oriental com camarão. Mas tadinho, o camarão era muito apimentado, mesmo assim ele aguentou firme até o fim. 


De sobremesa, nós dois pedimos o sundae, e o tamanho era incrível, muito grande e delicioso! Pra Ellerim, o de sempre. 


O legal da refeição infantil é que vem sempre com dois acompanhamentos, que você pode escolher entre: maça cortadinha, uva, cenourinhas, gelatina, pudim de chocolate, e um purê de maça (arrrg) ou batata frita. A Ellerim quase sempre ficava com as cenourinhas e a gelatina, que ela adorava. Depois demos uma voltinha na lojinha (que é maravilhosa), e passamos no Arcade (fliperama), que é imenso, e cheio de jogos legais. A Ellerim ficou louca! Mas deixamos para voltar outro dia. Eu fui então com a Ellerim para o quarto, e o Mauro foi estacionar o carro mais perto do quarto para pegar as malas (ele fez três viagens). Adorei a localização do quarto, porque era o mais próximo do Lobby possível para um quarto standard, e tinha uma vista lateral do lago, que é muito lindo. Mas ficava longe do estacionamento. Como a gente quase nunca saía de carro, não fez muita diferença (a gente até resolveu deixar o carro no estacionamento do Lobby, porque depois do café deixávamos as canecas no carro, para pegar quando a gente voltava do parque, e assim a gente não precisava ir até o quarto buscar, e podia ficar direto no restaurante). Chegando no quarto já vimos um bichinho feito de toalha na janela, muito fofo. O quarto tem duas camas de casal, um criado mudo com gaveta, uma cômoda com 6 gavetas, com uma TV de LCD de 37 polegadas em cima (que quase só passa canais da Disney), um cabideiro com maleiro em cima ao lado da pia (a pia fica fora do banheiro, e tem uma bancada), tábua e ferro de passar roupas, um cabo para internet (que custa $ 10 por dia) e um cofre, bem estreito, com chave manual, uma mesinha com duas cadeiras. 


O banheiro tem uma banheira tradicional, com chuveiro, e cortina (típico de hotel americano). Abrimos as portas conjugadas, e enquanto a Ellerim brincava com a Manu eu arrumei todas as roupas (não consigo deixar as roupas na mala…) Não foi uma tarefa muito fácil, porque tinha bem menos espaço no quarto e bem mais roupas depois das compras. Encontramos um canto para deixar as duas malas cheias de compras, e colocamos as outras vazias no maleiro em cima do cabideiro. A cômoda tinha uma prateleira em cima das gavetas, e ali coloquei todas as comidas e bebidas que tínhamos comprado (uma mala de mão cheia). Até que o quarto ficou organizado (a mãe achou bagunçado, mas fiz o melhor que pude com 4 malas cheias e duas crianças correndo, gritando e rindo por todo lado). Outra coisa legal foi a cerquinha que eles forneceram para a Ellerim não cair da cama. Pedi direto para a camareira, e ela já deixou na cama, encaixada dos lados (eu não sabia o nome e estava com preguiça de ir até o Lobby, então deixei um bilhete em cima da cama escrito: I would like, if possible, something to prevent children from falling out of the bed. Thank you, e quando voltamos para o quarto lá estava a cerquinha). Como o trabalho do Mauro é só arrumar as malas, e não “desarrumar” ele ficou o tempo inteiro deitadão na cama, até eu empurrar ele pro banho. Ai que delícia, aqueles shampoos e sabonetes do Mickey! Eu usei só um na viagem, o resto trouxe para o Brasil, para poder “continuar viajando” aqui… eles colocam todos os dias um sabonete de banho, um de rosto e um shampoo, mesmo que você não peça, e se pedir eles colocam mais. Terminamos tudo e nos arrumamos antes das quatro, e resolvemos ir passear por Boardwalk, pois era lá nosso primeiro jantar com personagens.


Top