Home / Degustação / Vinícola Villagio Grando, em Água Doce/SC, com a Jéssica!

Vinícola Villagio Grando, em Água Doce/SC, com a Jéssica!

ellerim viajante

Jéssica e Luiz na Vinícola Villagio Grando

Quem pensa que experiências assim só na Europa, precisa conhecer Santa Catarina. Acompanhe a visita dos meus amigos Jéssica e Luiz à Vinícola Villagio Grando, no município de Água Doce.

Vinícola Villagio Grando, localizada no Distrito de Herciliópolis, no Município de Água Doce

Vinícola Villagio Grando, localizada no Distrito de Herciliópolis, em Água Doce

No feriado do dia 1º de maio, fui com meus pais e namorado para a cidade de Caçador, localizada no meio-oeste catarinense para visitar a família dele, que é de lá.

No sábado, dia 02 de maio, resolvemos visitar a Vinícola Villagio Grando, localizada no Distrito de Herciliópolis, no Município de Água Doce, mais precisamente no endereço a seguir: Rodovia SC 451, KM 56, Herciliópolis, Água Doce/SC

A vinícola fica localizada nos campos de altitude de Santa Catarina, que reúne características ímpares de solo e clima, excelentes para o desenvolvimento dos vinhedos.

A vinícola fica localizada nos campos de altitude de Santa Catarina, que reúne características ímpares de solo e clima, excelentes para o desenvolvimento dos vinhedos.

São 13 variedades de uvas cultivadas em em 42 hectares, tudo em harmonia com a natureza.

São 13 variedades de uvas cultivadas em em 42 hectares, tudo em harmonia com a natureza.

São produzidos vinhos tintos, brancos, rosé e espumantes em tiragens limitadas, que traduzem o terroir autêntico de umas das regiões mais frias do país.

Na própria vinícola não há pousada, mas para quem estiver no meio-oeste em uma das cidades próximas, vale e muito a pena.

Na própria vinícola não há pousada, mas para quem estiver no meio-oeste em uma das cidades próximas, vale e muito a pena.

A cidade de Água Doce faz fronteira com as seguintes cidades: Palmas, General Carneiro, Luzerna, Joaçaba, Caçador, Salto Veloso, Treze Tílias, Macieira, Catanduvas, Ponte Serrada, Passos Maia e Vargem Bonita.

E, como nós estávamos em Caçador, fomos de carro até o local, e a distância até a vinícola é de cerca de 50 quilômetros.

O local também possui heliporto para pouso.

Ao chegarmos na Vinícola, deparamo-nos com um local lindíssimo, além de muito conservado.

Ao chegarmos na Vinícola, deparamo-nos com um local lindíssimo, além de muito conservado.

Essa foi a primeira impressão que tive. Após passar pelos portões, segue-se um caminho indicado por setas até a recepção.

Todo o percurso é ladeado pelas infinitas parreiras, por árvores e uma vegetação típica da região.

Todo o percurso é ladeado pelas infinitas parreiras, por árvores e uma vegetação típica da região.

Além disso, o caminho é emoldurado pelas usinas eólicas de Água Doce, que é a capital estadual da energia eólica.

O mesmo vento que traz invernos rigorosos e amadurece a uva é o que alimenta a cidade com energia.

Fomos até lá com a intenção de fazermos uma degustação de vinhos. Como não havíamos agendado, tentamos a sorte e conseguimos.

Fomos até lá com a intenção de fazermos uma degustação de vinhos. Como não havíamos agendado, tentamos a sorte e conseguimos.

Quem não quiser arriscar, pode realizar o agendamento pelo telefone ou pelo próprio site da Vinícola, clicando aqui.

São duas as modalidades de degustação: a clássica, que custa (em 2015) R$ 35,00 (trinta e cinco reais) e a Premium, que custa R$ 50,00 (cinquenta reais).

tábua individual de frios para acompanhamento

tábua individual de frios para acompanhamento da degustação

Em ambos os tipos, a quantidade de rótulos é a mesma: cinco e, além disso, cada pessoa recebe uma tábua individual de frios para acompanhamento.

A diferença entre as duas é o tipo de vinhos que são oferecidos durante a experiência. Optamos por realizar a degustação Premium, que contempla os rótulos premiados.

Durante a degustação, pode-se ficar dentro da recepção, ambiente muito aconchegante e confortável em que há sofás, cadeiras e lareira, como também, ficar na beira do lago e assim ter o privilégio de apreciar o belo pôr do sol que há no local.

Durante a degustação, pode-se ficar dentro da recepção, ambiente muito aconchegante e confortável em que há sofás, cadeiras e lareira, como também, ficar na beira do lago e assim ter o privilégio de apreciar o belo pôr do sol que há no local.

A primeira bebida a ser oferecida é o Villagio Grando Brut Rosé, um espumante delicioso. Foi um dos meus preferidos!

Villagio Grando Brut Rosé

Villagio Grando Brut Rosé

Harmonização: Pratos leves como peixes, frutos do mar e comidas japonesas.

Ele é um espumante desses diários, no ponto certo entre ser não tão doce a ponto de não cansar nem tão cortante a ponto de ser insuportável.

Como tomamos uma taça deste espumante enquanto aguardávamos a liberação de dois lugares, escolhemos outra opção para iniciarmos a degustação.

O primeiro que experimentamos foi o Villaggio Grando Chance. Um espumante semi-seco da mesma linha do Brut Rosé. É elegante, mas no meio termo entre doce e intenso.

Villaggio Grando Chance

Villaggio Grando Chance

Harmonização: Sobremesas doces e frutas frescas.

O segundo rótulo que tomamos foi o Villaggio Grando Chardonnay, que é o carro-chefe dos vinhos brancos deles. O Chardonnay é um vinho que possui um aroma único e forte. Não se acha facilmente tal aroma em outro vinho.

Villaggio Grando Chardonnay

Villaggio Grando Chardonnay

Harmonização: Queijos não maturados, queijos de fungo branco, geleias, aves e peixes.

Na sequência, degustamos o Villaggio Grando Innominabile.

Cerca de duas semanas antes da viagem eu havia provado este vinho e achei muito bom, principalmente o aroma dele.

Villaggio Grando Innominabile

Villaggio Grando Innominabile

O Innominabile é o resultado da mistura das melhores uvas de 4 ou 5 safras e passa por um processo de envelhecimento bem longo. O lote à venda atualmente é feito com uvas colhidas de 2004 à 2009. E, por incrível que pareça, apesar disso, é um vinho com tanino suave.

O quarto rótulo que nos foi apresentado foi o Villaggio Grando Além Mar, um vinho super encorpado e de bastante personalidade. O vinho segue a “fórmula” do experiente enólogo português Antonio Saramago, que vai até a Villaggio todo ano para acompanhar a colheita e a produção.

http://www.villaggiogrando.com.br/produtos_detalhes.php?idp=2

Villaggio Grando Além Mar

Harmonização: Massas, carnes de caça, faisão, perdiz, coelho, carnes vermelhas e queijos maturados.

Por fim, o quinto vinho que experimentamos foi o Villaggio Grando Colheita Tardia, um vinho branco suave e ligeiramente adocicado, que orna muito bem se ingerido com queijo.

http://www.villaggiogrando.com.br/produtos_detalhes.php?idp=1

Villaggio Grando Colheita Tardia

Possui um teor alcoólico mais acentuado pois as uvas são colhidas, como o nome já diz, após o tempo normal, quando elas estão bem mais maduras.

Harmonização: Sobremesas e queijo de fungo azul.

No momento da degustação, recebemos uma comanda em que há o nome de todos os rótulos com seus respectivos valores.

Assim, o visitante pode anotar no decorrer da degustação quais os vinhos que mais gostou para, ao final, poder adquirir uma garrafa por um preço muito mais acessível.

Se você estiver com crianças ou com algum adulto que não ingere bebidas alcoólicas, há a possibilidade de pedir suco de uva e água com ou sem gás.

Há também bastante espaço e uma casinha de boneca para que as crianças possam brincar.

Há também bastante espaço e uma casinha de boneca para que as crianças possam brincar.

Ficamos muito satisfeitos com o atendimento pelos funcionários e pelo proprietário, que auxiliava-os o tempo todo com muita gentileza. Todos foram muito solícitos e educados. Enquanto realizávamos a degustação, pudemos ouvir o proprietário do local compartilhar experiências dele e do local.

Maurício Carlos Grando, contava com orgulho do terroir, pois a característica climática e a geolocalização da propriedade, que foi escolhida à dedo, são as mesmas de Mendonza, na Argentina e em Bordeaux, na França.

Maiores informações a respeito da história da Vinícola podem ser encontradas no site do local.

Geralmente os visitantes fazem primeiro a visitação à vinícola, para depois iniciarem a degustação.

Geralmente os visitantes fazem primeiro a visitação à vinícola, para depois iniciarem a degustação.

Como nós não sabíamos se haveria visitação no dia, primeiro fizemos a degustação e depois de nos informarmos com alguns funcionários e termos descoberto que havia a visitação, não deixamos de fazer.

24

Após chegarmos a pé no local (cerca de cinco minutos do local da degustação), uma funcionária mostra-nos como os vinhos são produzidos, desde a colheita até o engarrafamento e rotulagem.

As uvas são colhidas e, após isso, as de padrão médio ou baixo, são descartadas. Das melhores, 20% de cada safra é guardada para fazer um vinho blend.

As outras passam pelo processo de fabricação ali mesmo e ficam armazenadas em barricas de carvalho americano ou francês (se vinho tinto) ou em tonel de aço inoxidável, até estarem prontos para serem engarrafados.

No geral, a experiência é maravilhosa. Não somente pela degustação, como também pela paisagem.

O pôr do sol é um espetáculo à parte, ainda mais para mim que sou apaixonada pelo pôr do sol, principalmente na região oeste de Santa Catarina.

Chegamos no local por volta de 16:00 horas e, ter o privilégio de poder assistir o sol se por naquela paisagem, é de tirar o fôlego. Vou deixar que as fotos falem por mim...

Chegamos no local por volta de 16:00 horas e, ter o privilégio de poder assistir o sol se por naquela paisagem, é de tirar o fôlego. Vou deixar que as fotos falem por mim…

PARA VER TODOS OS POSTS DE SANTA CATARINA CLIQUE AQUI!

PARA VER OS POSTS SOBRE VINHOS CLIQUE AQUI!

About Karen

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Top